quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Aux Morts: Père Lachaise (2)

No post anterior eu escrevi um pouco sobre as minhas impressões de Père Lachaise..agora vou falar um pouco de seus "ilustres inquilinos".. pois Père Lachaise é uma espécie de "Ilha de Caras" ou "Beverly Hills" da "Terra dos Pés Juntos.."

Sim..lá você pode pegar um mapinha..e sair à cata de seus ídolos..mas vá de tênis..você vai andar bastante..como se pode ver...no mapa..(isto é um rabisco de alguns lugares por onde eu andei por lá..você pode fazer um tour virtual no site: http://www.pere-lachaise.com/




Balzac dizia que Pere Lachaise era como uma espécie de "poeira nos olhos dos mortos", uma "comédia infame" Ou seja..Pere Lachaise ainda é Paris, com suas ruas, suas fábricas, suas indústrias, seus hoteis..mas vistas sob a lente de um telescópio..uma cidade feita de monumentos, larvas..e vaidade...
Mas como começou essa putaria de Pere Lachaise ser uma espécie de parada final obrigatória para as celebridades post-mortem? Vou te explicar..




Tudo começou com esse cidadão aqui..o padre François d´Aix de La Chaise..ele era um confessor intimo de Luis XIV..e ele era da ordem dos jesuítas..



Na região onde hoje é o cemitério de Père Lachaise havia um bosque dos jesuítas..e o lugar onde hoje está a capela..antigamente era o casarão em que o padre La Chaise costumava esticar as pernas...

Algumas partes mais antigas..o chamado setor romantico (proximo de onde está Chopin e Gericault)..ainda contém antigos caminhos de cabras que datam de três séculos atrás!! E os bosques contém milhares de árvores originais da época do próprio padre La Chaise..(e você nota bem mesmo que quanto mais pro leste você vai..vai ficando mais verde..quase igual um jardim..eu falei né? São arvores originais do antigo bosque dos jesuítas..


Olha cara..eu não sei quando começou a putaria de um querer ser mais foda lá ..mas provavelmente começou com um gesto de uma mãe bem intencionada..dizem que a escultura mais antiga do cemitério é esta..a de um oficial dos Dragões. Antoine Guillaume Langrande ... que morreu num campo de batalha em 1809..e a lápide é bem legal..cheia de orgulho, bravura..mostra que o cara deve ter sido um cara fodão mesmo, ..tem um trabuco e uma espada..e no meio de uma figura de uma mulher demonstrando muita dor...tinha que ter algo que representasse bem o que ele fez..algo que estivesse à altura dele..


É meu amigo..que heroi de guerra o cacete..os vizinhos ficaram com uma baita dor de cotovelo da mae do cara...e sabe quando você é garoto e alguém constrói um carrinho de rolimã mais estiloso que o seu..e logo toda a piazada da rua está numa competição louca pra ver quem manda ver melhor (geralmente o resultado é algo entre uma penteadeira de puta e um painel de ônibus pinga pinga paraguaio..cheio de penduricalho)...pois saiba que fizeram isso muito antes da gente..lá...lá mesmo..maldita inveja.


Mas Pere Lachaise é também um lugar cheio de histórias..a minha preferida é a deste cara..Victor Noir..um jornalista francês que metia o pau em Napoleão Bonaparte..O sobrinho neto do imperador..Principe Bonaparte tomou as dores e o chamou pra um duelo..dizem que ele foi bem filha da puta..e trapaceiro..e atirou sem avisar, algo assim..

a lápide dele, feita por Jules Danou..é bem realista, reproduz o momento da morte dele..como se ele estivesse acabado de cair no chao..com seu chapeu...ao lado do corpo..sem ter tido tempo de reagir..

O funeral dele na época teve mais de 10.000 pessoas...
Victor Noir - morto pelo sobrinho neto de Napoleão num duelo .
E é costume as pessoas colocarem uma flor dentro da cartola dele:




Bem.., e é visivel na estátua de Danou que Victor Noir aparece com uma digamos..protuberância...tornou-se então um dos costumes deste lugar..que as mulheres casadoiras coloquem flores no tumulo dele e dão uma passadinha na saliência...(veja que está bem gasta)..Enfim..este cara sim morreu feliz..de pau duro..e ainda a mulherada dá uma pegadinha no bingulin dele..pro resto da eternidade..



ereçao post-morten

E de todos os túmulos que eu vi lá...eu tenho um preferido..e não é pela pessoa que está enterrada lá (eu nem sabia quem era)..mas porque eu vi este túmulo na capa de um dos meus discos preferidos Dead Can Dance - "Within the realm of a dying sun"..você já viu? É o túmulo da famille Raspail..



No começo eu não sabia onde tinha sido tirada essa foto..(a primeira vez eu achei que eu vi essa capa, eu achei que era uma mulher maquiada com um pano branco)
Mas..numa cagada eu descobri que era lá mesmo em Père Lachaise que estava o tal túmulo ..e pergunta pra mim se eu não fui fuçar onde estava a tal mulher cabulosa da capa do Dead Can Dance...







 Bem...você pode até me malhar..pois num lugar como este..repleto de escritores e poetas "consagrados"..como Nerval, Proust, Apollinaire, Balzac e Oscar Wilde.., eu fui atrás de um escritor bem ruinzinho....Raymond Roussel...



E por quê eu gosto desse cara? Principalmente porque ele é um daqueles malucos que só fazem bosta na vida..e só começam a ficar conhecidos depois da morte.. Não deixa de ser engraçado..mas quando eu falo de Roussel..lembro menos do que ele escreveu do que das suas esquisitices..
Por exemplo..no seu livro La vue (A vista) ..ele vai descrever uma paisagem que só é visivel pra quem aproxima os olhos da superfície.. E as Impressions d´Afrique (impressões da Àfrica) foram escritas durante uma viagem à Australia e Nova Zelândia, quando Roussel, recusando-se obstinadamente a contemplar a paisgem, ficou trancafiado no camarote do navio, com as cortinas fechadas.. (não contente com isso..durante essa mesma viagem..ele escreveu a continuação Nouvelles Impressions d´Afrique) hahaha maluco de pedra!!

Bem, mas o seu livro que suscitou mais interesse foi Comment j´ai écrit certain des mes livres (como eu escrevi alguns de meus livros) escrito algum tempo antes de encontrarem seu corpo num quarto de hotel...como já era de se imaginar..de um maluco como esse não poderia esperar que o título correspondesse ao seu conteúdo.."comment j´ai".. não fala absolutamente nada de seus livros, ao invés disso..mais parece um daqueles livros escritos por um maluco no hospício
Não é à toa que muito antes de ser "redescoberto" por Michel Leiris e André Breton..Roussel já tenha interessado a Psiquiatria..de Pierre Janet a Binswanger..


Olha..mas não tem coisa mais foda do que você ir lá e encontrar um dos seus ídolos..(não uma das supostas "celebridades" entre centenas de "famosos" enterrados por lá..mas um autêntico "ídolo"..alguém que você admira pra caralho)
você pode se emocionar em frente ao túmulo de Proust ou de Oscar Wilde com certeza..mas para mim..cara, foi foda quando eu achei o túmulo de Felix Guattari..não tenho nem palavras para dizer..aquela lápide feia..quase no meio do  chão batido..com uma inscrição..bem à la Guattari..

"Il n´y a pas de manque dans l´absense..l´absense est une presence en moi"(não há falta na ausência..a ausência é uma presença em mim)...





Não sei se você sabe..mas Guattari era um maluco de pedra..às vezes..na clínica de La Borde..ele ficava com os olhos esbugalhados..como que fora da casinha..em estado meio catatônico..ele ficava literalmente petrificado (em seu necrologico Deleuze dizia que "era o seu lado meio pedra" (pierre em francês)..já que seu nome era Pierre-Felix Guattari...
Um amigo dele Roberto Maggiori, dizia que Guattari certa vez lhe contou que na infância, ele tinha uma espécie de pesadelo recorrente: uma dama de negro que voltava todas as noites. Guattari conta a Maggioria que o irmão dele lhe aconselhou a dormir com um fuzil, sugerindo que atirasse nela, caso ela aparecesse de novo. O estratagema parece ter funcionado..mas Maggiori conta que Guattari nunca armou aquele fuzil..pois a dama de negro nunca mais lhe aparecera..até aquela noite de 29 de agosto de 1992...quando ela voltou


______________________________
Mas Pére Lachaise não é conhecida apenas pelos seus túmulos e capelas..lindíssimas.. ela é famosa sobretudo pelos seus inquilinos..Mas isso foi uma puta de uma malandragem sabe..Primeiro porque algo como Père Lachaise não existia antes..Ele é um puta esforço de três pessoas: Napoleao (isso mesmo..ele era um entusiasta para construção deste cemitério..pena que não está enterrado ali..) Frochot o prefeito de Paris..que fez a coisa andar...e o arquiteto Alexandre-Theodore Brongniart..isso sem contar o antigo dono da propriedade, Desfontaines Louis Baron..

Engraçado que todos eles (menos Napoleao) estão enterrados em Pere Lachaise...mas o padre...que deu origem ao lugar..não se sabe...

Bem..Pere Lachaise também foi produto de um lento processo de reformas urbanas que se iniciaram em Paris..e que culmina com as famosas reformas de Haussman, que transformam a cidade no que ela é hoje...
Mas digamos, esquematicamente..que os médicos higienistas..(existia uma disciplina específica...quase uma ciência autônoma..que era denominada Higiene Publique)...estava interessada especialmente na localização de fábricas, hospitais, prisões, igrejas..e cemitérios..dentro do quadro urbano..



Isto porque na epoca acreditava-se que grande parte das doenças eram causadas por espécie de seres invisíveis chamados de miasmas..e estes serezinhos emanavam dos corpos em putrefaçao ou qualquer lugar fedido que se encontrasse..(isso aliado à falta de planejamento do espaço urbano..) ..era a grande responsáveis pelas grandes calamidades públicas em termos de doenças infecciosas naquela época..
Esse conhecimento..que beirava o charlatanismo..foi o responsável por uma ampla política de abertura de grandes avenidas e boulevares..drenagem de pântanos..e expulsão de locais considerados insalubres pra fora do centro urbano..a partir de agora..cemitérios, fábricas..hospitais..teriam que ser construídos fora do espaço urbano..
Foi nesse novo tipo de cemitério que surgiu Pere Lachaise (os cemitérios do centro de Paris..como o extinto Cemitière des Saint Innocents......que localizava-se proximo do atual Les Halles)

Só mesmo isso pra justificar um lugar meio bizarrão mesmo como Pere Lachaise..
E eu já nao estranho a puta jogada que fizeram pra levantar a moral do lugar..Logo que ele foi criado em 1804..por uma inteligente manobra..levaram para lá as ossadas de Molière e de La Fontaine (até hoje elas estão lá..juntinhas.lado à lado.). veja só:



O sucesso foi enorme sabe..porque o final do século XVIII e o início do século XIX tem uma estranha relação com o osso e com caveiras, cranios..era a época em que a Frenologia (de Franz Joseph Gall..começava a mostrar que a inteligencia estava associada à forma da caixa craniana..e logo viria um avacalhador como Cesare Lombroso com a idéia de que na forma do crânio..de certos tipos específicos..(o "criminoso nato") estava o germe do crime..

Estas belezuras não tardaram a virar espécie de reliquias..objeto de curiosidade e culto..

Por toda parte você ouvia leilões de crânios supostamente que pertenceram a Descartes, Kant, Mozart..etc.. e um rei não sei de onde ficou super feliz quando um cara apareceu com o crânio de Charlot Corday.., o "anjo da morte" ..assassina de Marat (lembra do quadro de Louis David..o Marat deitadão na banheira...igual capa da Tribuna do Paraná...?)..mas..se você perguntasse ao presenteador..onde ele conseguiu tal artefato .(bem ele teria um certificado dizendo que era original..até mesmo narrando a história de como o cranio foi conseguido..tudo mentira..é claro!)...........pois é...peripécias assim aconteciam por toda parte..
Não é de se assustar que as tais ossadas de Moliere e La Fonteine deram um up lá no cemitério..que era um tanto bizarro..ai foi sucesso né...

Mas..logo depois..chegaram inquilinos ainda mais ilustres..foi o casal Abelardo e Heloísa..e meu amigo..ali eles acertaram em cheio hein...pois Abelardo e Heloísa..é um clássico..é como se fosse Romeu e Julieta da Idade Média..e a sua história arranca mais lágrimas do que aquelas reconstituições de histórias vividas por casais que passa na Record de madrugada no dia da Terapia do Amor (eu gosto da parte que eles passam num tunel..tipo festa junina..em formato de coração)



Abelardo e Heloisa..(veja as belíssimas correspondências trocadas entre eles...)

Mas ai fudeu né..o lugar bombou..todo mundo queria ir pra lá..e começaram a cobrar pulseirinha vip..tinha até penetra..e todo mundo querendo entrar lá com sua garrafinha de Absinto e a piteirinha do capeta (que naquela época era o haxixe) e ai tinha gente tentando construir mausoleu metido a besta..pra fingir que é importante...mas tinha gente da alta lá meu irmão ..tinha Proust, Delacroix, Oscar Wilde., bem..você sabe a lista né..e eu fiquei sabendo que talvez um dia Celine Dion também vá pra lá..afinal ia ser bem bacana se você pudesse ouvir My heart will go on acompanhadas das trombetas do além....





De qualquer forma..até no além tem uns cuzões..e o viadinho do Baudelaire..e o ranzinza do Sartre quiseram mesmo é descansar tranquilos em Montparnasse...e também Nijinsky e Truffault recusaram a estadia ..eles foram para o cemitério de Montmartre..(mas eles eu entendo..lá tinha cachaça e putaria)...
E assim..Pere Lachaise se tornou o lugar legal que é hoje...





Mas sabe..não fique triste se você for pra Paris e não encontrar alguma das lápides de algum ídolo seu..
Veja meu caso:


+ Foucault está enterrado no cemitério de Vendreuve..que nem mapa tem..
+ Deleuze está enterrado no cemitério de Saint-Leonard de Noblat..uma província na região de Limousine...e tem gente que já se fudeu indo pra lá tentar achar o tumulo dele (talvez fosse melhor ter procurado algo tipo "famille Grandjouan.." que é o nome da família da esposa dele, Fanny Deleuze, que moravam lá)..

Mas pensando bem..nem no Dia dos Finados a gente vai no cemitério pra levar flores pros parentes que já se foram né? ...então no fundo..eu gosto de uma pixaçãozinha que tinha numa placa em homenagem à Deleuze... "Deleuze..a gente sente falta..mas a gente se vira"..


É o que esse povo que tá lá na cidade dos pé-junto em Paris merecia..um pouco mais de privacidade não é mesmo?


(Foda-se...)

1. Monument aux Morts


2. Balzac

3. Delacroix


4. Proust



5. Oscar Wilde


6. Edith Piaf

8. Moliere e La Fontaine
9. Capela/ Setor Romântico


10. Géricault


11. Chopin

12.Abelardo e Heloísa


Participe do nosso Forum de Viagens: aqui

4 comentários:

Ana disse...

Bom saber mais da história do lugar, eu não sabia como o negócio tinha começado...

Kelin disse...

Curti as informações, estou indo viajar no mês que vem e vou tentar achar um destes túmulos, ao menos o do Foucault, hehe...

Kelin Valeirão

o camponês de Paris disse...

Valeu kelin..Pere Lachaise é um lugar especial..com certeza você vai se divertir.

Nosliw disse...

Gostei muito do post. Os sepultamentos mais antigos eram realizados em covas, ou gavetas de concreto?

Postar um comentário

Gostou deste post? Quer falar também sobre suas impressões de viagens? Quer acrescentar detalhes que você conhece sobre o assunto? etc...

Use este espaço, é livre. Deixe seus comentários, críticas e sugestões, etc. Ajude-nos a melhorar cada vez mais...